Gianne Lorena

Gianne Lorena – Poesia de pires

quando eu era criança
tanto ficava vermelha
que nem parecia
morena

mas o tempo espelha
outras pessoas
ideias e palrações

mudam-se os refrões e
p l u f t !
estou moída

escuto cada coisa…
porém, minha vida curta
é tomada e substituída
pela mesma
coisa

e vou e volto
envolta ao arroio
humanitário

– não sou adubo
mas parece interessante ser
perante o que escutei
daquelas todas
que prezam o ter –

estou de qualquer lado
sou um tanto amarga
e não sei por que
tem gente que não larga

dizem que vicia,
vicia nada!
vicia o vício
que a mente inicia
pensando
no mascavo ou
no cristal

não, não, não
eu prefiro o normal

ser cafeína
é quase ser ninguém
só me sinto gente
quando desperto
neblina
que, na bruma
do meu efeito
convém

 

Gianne Lorena, 6Universos

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.