Júlia Cortines

Júlia Cortines – Desencanto

A alma me disse: –“Quero, sacudida De inspiração nas asas, me elevar Do tenebroso pélago da vida Às profundezas do celeste mar, Onde resplende a vaga azul, batida De sol, e a Via láctea, a flamejar, Entorna sobre a vaga enegrecida As contas luminosas do colar.” Quando desceu: –“Os céus a que subiste De oiro …

Continue Reading
Júlia Cortines

Júlia Cortines – Só

Sobre o Ocaso, que a luz, refrangindo, avermelha, Correm rapidamente as nuvens; fustigadas Pelo açoite febril das agudas rajadas, Que as enovela no ar e no ar as esguedelha! E Vésper tremeluz, como branca centelha, De momento a momento; e, quais brutas manadas, Se atropelam, bramindo, as maretas iradas Em torno do baixel em que …

Continue Reading