_ap_ufes{"success":true,"siteUrl":"www.tudoepoema.com.br","urls":{"Home":"https://www.tudoepoema.com.br","Category":"https://www.tudoepoema.com.br/category/adalcinda-camarao/","Archive":"https://www.tudoepoema.com.br/2021/11/","Post":"https://www.tudoepoema.com.br/comunicado/","Page":"https://www.tudoepoema.com.br/coming-soon/","Attachment":"https://www.tudoepoema.com.br/comunicado/minimalist-grey-motivational-quotes-instagram-post/","Nav_menu_item":"https://www.tudoepoema.com.br/6162/","Custom_css":"https://www.tudoepoema.com.br/blacklite-gird/","Oembed_cache":"https://www.tudoepoema.com.br/9570d45b585c8951d60eac9a46f32e4f/","Wp_block":"https://www.tudoepoema.com.br/bloco-reutilizavel-sem-titulo-2/","Wpcf7_contact_form":"https://www.tudoepoema.com.br/?post_type=wpcf7_contact_form&p=69"}}_ap_ufee Arquivos Lis Nogueira - Tudo é Poema
Navegando pela Categoria

Lis Nogueira

Lis Nogueira

Lis Nogueira – Lá e cá

Fiquei aqui do meu lado sem entender o acontecido
E você aí, achando que era contigo
Fiquei aqui matutando o que poderia ter mudado
E você, permaneceu calado.

Fiquei sem resposta, sem bom dia
E você, pelo visto, também na agonia
Nem sabia que éramos tão fãs do silêncio
Perdemos sorrisos, confidências, alegria

E ainda que não nos vejamos mais
E pela ausência dos abraços sofrermos
Vivemos o que era pra ser vivido
E a melhor parte esquecemos

Dias e noites falem por nós
Se não temos voz, para que cantar?
Que a vida desate esses nós…
Mudices de lá e de cá.

 

Lis Nogueira, 6Universos

Lis Nogueira

Lis Nogueira – Navegante…

Curvo-me diante da vida
E das tempestades em mim.
Aceito que os estrondos gotejem
Sob a forma de lágrima sofrida.

Sigo sem rumo,
Esperando a bonança, ainda que breve,
Pois no meu caso, não há.
Há apenas o equilíbrio em um barco
Que insiste em naufragar.

Mesmo sendo a bonança
Uma lâmina de águas calmas,
Onde as almas não evoluem e não aprendem nada,
Eu me contento com a minha carga quase à deriva.

Sou capitão, marujo e bússola.
Caio, levanto, sofro, decido, aprendo;
Busco no céu a clemência,
Mas a tempestade é soberana e me toma o céu também.

A vida me obriga a remar,
Mesmo quando há vento contra,
Mesmo quando eu não acredito
Que existe sol para brilhar.

Eu bem que sou pura tormenta.
Entre falésias e angústias,
Procuro o farol ou o porto,
Para descarregar os meus gritos.

Coloquei todos no barco;
Cabeça, coração e tempo.
Mas a minha essência marinha
Não vê acordo entre eles.

E nesse barco que emborca,
Tumultos e ondas são o meu lar.
Só peço a Deus para ter sorte,
E meu braço um pouco mais forte,
Pois preciso navegar.

Lis Nogueira, 6universos

Lis Nogueira

Lis Nogueira – Cinco minutos

Seriam cinco minutos apenas…
Esqueceria as minhas tristezas
Encerraria as minhas defesas
Abandonaria a minha dor

E nesses cinco minutos
Meu mundo seria o teu sorriso
Minha paz seria o teu abraço
Eu acreditaria no amor

Durante esses minutos
O passado não importaria
Ele já nem existiria
A felicidade eu seria

Se o tempo parasse agora
E comigo você estivesse
Cinco minutos seriam a eternidade
Que eu sonho em viver um dia.

Lis Nogueira, 6universos

Lis Nogueira

Lis Nogueira – Destino

Existe um caderno em branco
Onde escrevemos as rimas
Revelamos nossas sinas
Partilhamos os segredos

Sobre as páginas inéditas
Desenhamos pensamentos
Dissertamos sobre os sonhos
Reconfiguramos os medos

Entre folhas revisitadas
E poemas bem borrados
Cada frase registrada
Se comporta como um hino

Único e memorável
O caderno de nós mesmos
De contos que vivem em letras
Tão chamados de “Destino”.

Lis Nogueira, 6universos

Lis Nogueira

Lis Nogueira – Personagens

Ainda que eu ouça o mais belo chamado
E me encante com os mais belos sorrisos
Sempre paira a dúvida
Sobre em que acreditar
Palavras não fazem sentido
Verdades pela metade
Silêncio incompreendido
Confiar? Sei… Confiar…

No eco das vozes vazias
Dos sentimentos mascarados
De falsas palavras ao vento
De questionáveis empatias

Pessoas de vozes doces
E cabeças ocas
Vestem personagens ilusórios
E eu que acabo louca

Para fazer minha cabeça entender
Que por mais doloroso que seja
É normal que a alma que te mente
Seja a mesma que te beija.

Lis Nogueira, 6universos

Lis Nogueira

Lis Nogueira – Para o desencontro: Café

Foi tão rápido que eu mal entendi.
Passei por você, te notei;
Como você vinha, te esperei;
Resolvi te olhar de novo, tinha o teu sorriso agora e bem
Que ele era para mim.
Eu nem pisquei e, de repente, te perdi.
Mudou de calçada, sumiu que eu nem vi.
Levou consigo histórias e sonhos,
Pois sim;
E me deixou assim…
Sabendo que era você
(Certeza absoluta de que era você!).
Sem fala e sem rumo
Com esse jeito de saudade do que eu (quase) acabei de ter.
Um sorriso, um minuto e o coração saiu do prumo.
Tive que entrar na livraria,
Ouvindo o destino no maior deboche dizer: Esqueça!
Do desencontro, sobrou um café…
E o resto da tarde com dor de cabeça…

Lis Nogueira, 6universos