Lucas de Meira

Lucas de Meira – Niente

Quem dera eu fosse, ou quase, um poeta, dos que constroem altivos sonetos, e não, um verso, em estrofe tão pateta, que termina querendo falar dos ventos. Ventos que mudam, e mudam, a direção dos sonhos, das cores, dos lugares, mas mal fazem cócegas ao coração, afogado no mais profundo dos meus mares. Quem me …

Continue Reading