Guerra Junqueiro

Guerra Junqueiro – Elegia

A alegria da vida, essa alegria d’oiro A pouco e pouco em mim vai-se extinguindo, vai… Melros alegres de bico loiro, Ó melros negros, cantai, cantai! Ando lívido, arrasto o pobre corpo exangue, Que era feito da luz das claras madrugadas… Rosas vermelhas da cor do sangue, Rosas abri-vos às gargalhadas! Limpidez virginal, graça d’Anacreonte, …

Continue Reading