Miguel Torga

Miguel Torga – Exortação

Mão de escultor, o barro é outro, agora!
É mais de baixo, de maior fundura.
É de uma terra mais humana, embora
Seja de terra toda a criatura.

Que a tua inspiração tenha ternura.
Que a tua solidão fique de fora.
Que não macule a nova formosura
A mais discreta sombra de outra hora.

Quando a forma começa, venha o lume!
Venha ao botão de rosa o seu perfume,
Límpido casto, como a flor o quer.

Desça da fronte augusta do artista
A impessoal beleza da conquista
De cada descoberta que fizer.

 

Miguel Torga, Cinco séculos de sonetos Portugueses

Was this post helpful?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.