Marina Colasanti

Marina Colasanti – Segredo no dedo

Marina Colasanti

Ganhei um anel pequenino
que não cabe no meu dedo,
quem me deu foi um menino
que me sorri desde cedo.
O anel seguirá pequeno
parecendo de brinquedo,
há de crescer o menino
por quem espero
em segredo.

Marina Colasanti, O nome da manhã

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.