Flora Figueiredo

Flora Figueiredo – Degelo

A estrela de vidro quebra a ponta,
de tanto escrever no infinito,
invernos de faz de conta.

Flora Figueiredo, Limão Rosa

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.