Bruna Lombardi

Bruna Lombardi – Direção

Quando me perdi de mim,
eu, assombrada
com o que acontecia à minha volta,
tentei achar a porta da morada
de um lugar que já não estava mais
onde o deixei.

Já não sabia mais qual o caminho
onde achar um mapa ou estrela que orientasse
se a voz de Deus já não chegava nesse abismo
se já não havia mais quem me escutasse.

Se eu soubesse que cada pecado que cometi
e quando, mesmo doendo, eu dei a outra face,
cada batalha que enfrentei
e cada vez que deixei que me cortassem,
que tudo isso foi a mistura necessária
pra que eu aos poucos me tornasse
a purificação desse estado de coisas
que agora me transforma no que sou.

Não existe mais procura do caminho.
O caminho é apenas onde estou.

 

Bruna Lombardi, Clímax

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

1 Comentário

  • Responder
    Wilson Munhoz
    04/06/2021 at 16:58

    Bruna, sempre tão sensível. Me tocou com esse poema cheio de significado para mim, que sempre estou a questionar o meu caminho e as coisas que nele faço e, pior, o que deixo de fazer.

  • Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.