Walt Whitman

Walt Whitman – Quando ponderei em silêncio

Quando ponderei em silêncio,
Repensando meus poemas, considerando, delongando,
Um Fantasma surgiu ante mim com descrente aspecto,
Terrível em beleza, idade e potência,

O gênio de poetas de antigas terras,
A mim volvendo feito flama seus olhos,
Com dedo apontando muitas canções imortais,

E voz ameaçadora, Que cantas tu? Disse,
Não sabes que há somente um tema para bardos persistentes?
E esse tema é o da Guerra, o destino das batalhas,
O preparo de soldados perfeitos.

Que assim seja, então respondi,

Eu também altiva Sombra também canto guerra,
E uma mais longa e maior que todas,
Mantida em meu livro com vário destino, com fuga, avanço e recuo,
Vitória adiada e hesitante,

(Porém acho certo, ou tanto quanto certo, por fim,) o campo o mundo,
Pela vida e morte, pelo Corpo e pela Alma eterna,
Vê, também vim, cantando o cântico das batalhas,
Eu acima de tudo promovo valentes soldados.

 

Walt Whitman, Folhas da relva

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.