Suely Andrade

Suely Andrade – Andarilha

Hoje minha porção Maria
Cata e joga seixos no caminho.
Pedras de alvenaria
Jogadas devagarzinho.
Não às migalhas de pão!
Olhos vidrados na trilha.
Sem companhia de João,
Maria, sou andarilha.
Caminho a passos lentos,
Sem certeza do trajeto,
Sob ares tão cinzentos…
O meio sorriso completo
Quando eu saio da trilha.
Não mais importa o regresso;
Sigo à frente, andarilha.
Caminho, caminho e não cesso.

Suely Andrade, 6universos

Você gostou deste poema?

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.