Marina Colasanti

Marina Colasanti – Azul bem marinho

Estranho lugar
é o mar.
Tem cavalos que não trotam,
não relincham, não galopam,
não andam pelos caminhos,
são marinhos.
Tem estrelas que não brilham,
não iluminam o mundo,
nadam no fundo.
Tem água que não é água
e parece ir à deriva,
é água-viva.
E acima da superfície
fugindo dos predadores
saltam peixes… voadores.

 

Marina Colasanti, Estranheza com beleza

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.