Marina Colasanti

Marina Colasanti – A hora vai-se embora

Marina Colasanti

O trem avança no trilho
o trilho corre no chão
as horas são estribilho
e o tempo não passa em vão.

Giram as pás do moinho
caem as folhas do verão
as horas são estribilho
as que chegam e as que vão.

Levanto a taça de vinho
agradeço o que me dão
faço da hora estribilho
como a vida feito pão.

 

Marina Colasanti, O nome do manhã

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.