J.G. de Araújo Jorge

J. G. de Araújo Jorge – Advinha-se

Quando tu passas, sob o teu vestido
na ousadia das formas
adivinha-se
– o desejo incontido,
– essa vontade,
da carne que se sente prisioneira
e que arrogantemente se rebela
em ânsias de liberdade….

Adivinha-se o desejo
da carne que não tarda a ser mulher…
– da semente que quer romper o chão…
– da flor que abre a corola ao sol
a esperando louro pólen da fecundação!…

 

J. G. de Araújo Jorge, Os mais belos poemas que o Amor inspirou Vol. 1

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.