Flora Figueiredo

Flora Figueiredo – Catavento

flora figueiredo

A cada esquina,
há um cheiro de verão
que me entontece,
afaga,
contamina.
já não sei mais a direção.
Que sorte a minha perder o Norte!
Se os meus pontos cardeais
fossem definidos,
não caberia esse amor tão proibido,
que sofre, goza muito e pede mais.

Flora Figueiredo, O trem que traz a noite

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

1 Comentário

  • Responder
    livia rihan kalid
    11/07/2021 at 20:51

    Gostei demais! “Que sorte a minha perder o Norte” tão verdadeiro pra quem não tem os pontos cardeais definidos!

  • Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.