Elisa Lucinda

Elisa Lucinda – Carta devolvida

elisa lucinda

Se não gostar mais de mim
não me responda nada
não me diga nada
não quero que fiquem gravadas
as palavras do não querer.

Se não gostar mais de mim
ninguém precisa saber
nem eu.
Se não gostar mais de mim
seja breve seja leve seja zen
silêncio de ioga e Sidartha.
Mas se ainda sonhar comigo,
por favor, meu amor,
devolva essa carta.


Elisa Lucinda, Vozes guardadas

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

1 Comentário

  • Responder
    Rosenaide
    25/05/2021 at 21:54

    Muito bom. Ver esse lado da Elisa através do programa Retiro dos Artistas, na data de hoje. Que mulher espetacular! Energizou-me! Diego Hipólito, que nobreza de alma.

    Que poema profundo na sua simplicidade. Amei!

  • Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.