Elisa Lucinda

Elisa Lucinda – Carta devolvida

Se não gostar mais de mim
não me responda nada
não me diga nada
não quero que fiquem gravadas
as palavras do não querer.

Se não gostar mais de mim
ninguém precisa saber
nem eu.
Se não gostar mais de mim
seja breve seja leve seja zen
silêncio de ioga e Sidartha.
Mas se ainda sonhar comigo,
por favor, meu amor,
devolva essa carta.


Elisa Lucinda, Vozes guardadas

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.