Carlos Queirós

Carlos Queirós – Prece de natal

Menino Jesus 
De novo nascido, 
Baixai o sentido 
Para a nossa cruz! 

Vede que os humanos 
Erros e cuidados 
Nos são tão pesados 
Como há dois mil anos. 

A nossa ignorância 
É um fardo que arde. 
Como se faz tarde 
Para a nossa ânsia! 

Nós somos da Terra, 
Coisa fria e dura. 
Olhai a amargura 
Que esse olhar encerra. 

Colai o ouvido 
À alma que sofre; 
Abri esse cofre 
Do sonho escondido. 

Pegai nessa mão 
Que treme de medo; 
Sondai o segredo 
Da minha oração. 

Esta pobre gente 
Que mal é que fez? 
Nós somos, talvez, 
Um povo «inocente»… 

Menino Jesus 
Que andais distraído 
Baixai o sentido 
Para a nossa cruz! 

A mais insofrida 
De tantas misérias 
– Não termos mais férias 
Ao longo da vida – 

Trocai por amenas 
Manhãs sem cuidados, 
Silêncios banhados 
De ideias serenas; 

Por cantos e flores 
Risonhas imagens 
Macias paisagens 
Felizes amores! 

Carlos Queirós, Antologia Poética 

Você gostou deste poema?

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.