Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade – Reloginho, reloginho

Reloginho, reloginho,
embora apenas suplente,
bate bate direitinho,
bate bem rapidamente
a hora de meu bem chegar,
Mas se é hora de partir,
atrasa o mais que puderes
e não deixes nunca ir
a mais doce das mulheres.

Reloginho, compreendido?
Sempre teu, agradecido.

 

Carlos Drummond de Andrade, Declaração de amor

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.