Alice Sant ́Anna

Alice Sant ́Anna – Um enorme rabo de baleia

Alice Sant ́Anna

cruzaria a sala neste momento
sem barulho algum o bicho
afundaria nas tábuas corridas
e sumiria sem que percebêssemos
no sofá a falta de assunto
o que eu queria mas não te conto
era abraçar a baleia mergulhar com ela
sinto um tédio pavoroso desses dias
de água parada acumulando mosquito
apesar da agitação dos dias
da exaustão dos dias
o corpo que chega exausto em casa
com a mão esticada em busca
de um copo d’água
a urgência de seguir para uma terça
ou quarta boia, e a vontade
é de abraçar um enorme
rabo de baleia seguir com ela

 

Alice Sant´anna, Rabo de baleia

Você gostou deste poema?

Você Pode Gostar Também

1 Comentário

  • Responder
    Cesar Cardoso
    29/07/2020 at 19:52

    Esse é um belo poema. Parabéns.

  • Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.