Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos – Monólogo de uma Sombra

“Sou uma Sombra! Venho de outras eras,  Do cosmopolitismo das moneras…  Pólipo de recônditas reentrâncias,  Larva de caos telúrico, procedo  Da escuridão do cósmico segredo,  Da substância de todas as substâncias!  A simbiose das coisas me equilibra.  Em minha ignota mônada, ampla, vibra  A alma dos movimentos rotatórios…  E é de mim que decorrem, simultâneas,  …

Continue Reading